O novo modelo de geração de energia proposto por uma startup alemã inclui mistura energia solar, eólica e das ondas para uma otimização completa do ambiente de geração.

Tanto a energia solar, quanto a energia eólica ou a energia ondomotriz (ou energia das ondas) são tecnologias já conhecidas pelos pesquisadores e empresas mundo afora que desenvolvem as tecnologias nessas áreas.

A grande novidade entretanto na tecnologia apresentada pela startup alemã SINN Power é uma plataforma marítima modular capaz de produzir energia por meio de energia solar, eólica e das ondas. Aproveitando ao máximo as três fontes de energia em um único projeto.

No verão desde ano de 2020 a empresa oferecerá aos fabricantes de painéis solares a possibilidade de testar a tecnologia em uma plataforma offshore montada na costa da Grécia.

Um detalhe interessante sobre a tecnologia é que ela apresenta uma configuração modular, sendo assim facilmente montada e aumentada ou diminuída conforme as necessidades específicas de cada espaço.

Cada unidade flutuante ou módulo consiste em quatro conversores de energia das ondas integrados que geram energia em relação às condições da água. Para regiões com baixo potencial de energia das ondas, a unidade também pode ser equipada com uma série de células fotovoltaicas de 20 kW. Da mesma forma, até quatro pequenas turbinas eólicas de 6 kWp podem ser equipadas e, finalmente, uma combinação das três também é possível, explorando de maneira otimizada as condições ambientais ao redor da plataforma.

Diferentes configurações possíveis para o uso da plataforma. Fonte: SINN Power.

Em áreas com maior ondulação, por exemplo, a plataforma explorará mais o potencial de geração das ondas, enquanto uma área com mais vento, poderá ter uma maior geração eólica. A combinação das três tecnologias juntas também pode ser feita, buscando um maior desempenho na geração de energia.

Segundo os criadores da plataforma não há uma limitação de tamanho, podendo a plataforma ser adaptada a diferentes espaços com diferentes condições ambientais.

A plataforma conta ainda com sensores que transmitem dados continuamente para os centros de diagnóstico. Permitindo a detecção oportuna de anomalias, a prevenção de possíveis falhas, a análise dos modelos de energia fornecida.

A ideia, que passou de patente para protótipo em apenas dois anos, atraiu muita atenção de parceiros e investidores.

O próximo passo é tornar a tecnologia acessível. Para isso a empresa está desenvolvendo uma plataforma móvel que servira como vitrine para permitir o acesso mais rápido a possíveis clientes em potencial.

Vídeo mostrando o funcionamento da plataforma. Fonte: Sinn Power.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.