O que muda para a Geração Distribuída com as novas regras da REN 482?

O que muda para a Geração Distribuída com as novas regras da REN 482?

A alteração proposta pela ANEEL para a REN 482, vem chamando bastante atenção do público que tem interesse na energia solar. Nesse outro artigo você pode conferir na integra as principais mudanças sugeridas e como cada uma das categorias poderá ser impactada. As novas regras prejudicam principalmente os créditos gerados.

A proposta da Agencia Reguladora, defende que a partir da publicação da norma, todas as novas instalações com compensação remota, ou seja, que produzem a energia em um lugar e utilizam em outro, deverão se enquadrar na Alternativa 5, onde receberão de volta somente 47% de toda energia que injetaram na rede, dobrando o tempo de retorno para esse tipo de instalação. Confira esse outro artigo que fizemos para comparar os tempos de retorno de investimento da energia solar agora com depois de aprovada a proposta de mudança da REN 482 da ANEEL.

Uma coisa interessante de se considerar é chamado de fator de simultaneidade. Esse fator representa qual a parcela da energia produzida, já está sendo consumida no mesmo instante. Podemos citar como exemplo a grande maioria dos estabelecimentos comerciais: a energia está sendo produzida durante o dia e instantaneamente é consumida pelo estabelecimento, sem que seja injetada na rede. Assim, esse comércio só vai utilizar energia da rede em dias nublados e chuvosos. E somente nesses momentos precisará utilizar seus créditos, como ilustra a figura abaixo.

Fator de Simultaneidade. Fonte: Alsol.

Então, quanto maior for o fator de simultaneidade, menos o consumidor será impactado pela mudança na resolução, uma vez que a grande maioria do seu consumo de energia ocorrerá durante o período de produção de energia. Já para os consumidores que trabalham o dia todo e utilizam mais energia fora do horário de geração serão mais prejudicados, porque só conseguirá utilizar 47% de toda energia que produziu durante o dia.

Como o tempo de vida dos painéis fotovoltaicos é superior a 25 anos, o investimento em energia solar ainda se torna muito vantajoso mesmo para os consumidores com baixo índice de simultaneidade. Já para os consumidores que já tem energia solar instalada ou que adquirirem um sistema de geração e homologarem antes da aprovação das alterações, as novas regras só serão aplicadas no final de 2030, garantindo o retorno do investimento em menos tempo.

O texto final ainda não foi aprovado e uma nova consulta pública foi aberta até o dia 30/11/2019, com o objetivo de levantar novas ideias e a opinião pública de mais pessoas. Leia esse artigo, onde te ensinamos como você pode dar a sua contribuição de como deve ser a Geração de Energia Distribuída nos próximos anos.

Deixe um comentário