ENERGIA SOLAR NOS SUPERMERCADOS

ENERGIA SOLAR NOS SUPERMERCADOS

A energia solar nos supermercados vem se tornando cada dia mais comum. Vamos entender um pouco mais do setor e saber o motivo disso.

O comércio varejista movimenta bilhões anualmente no Brasil. Os supermercados foram responsáveis por mais de 5,2% do PIB brasileiro no ano de 2018, segundo a Associação Brasileira de Supermercados.

O setor é marcado por uma forte concorrência e uma margem de lucro baixa sobre os produtos. Além disso, crises econômicas afetam diretamente o mercado, diminuindo o poder aquisitivo dos consumidores. Diante dessas dificuldades, faz-se necessária uma boa estratégia de redução de custos para manutenção da competitividade de mercado.

O custo de energia elétrica é um dos principais custos enfrentados pelos supermercados atualmente. Segundo pesquisa da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), o custo de energia virou a 2ª maior despesa dos supermercados. Dentro dessa despesa, a refrigeração responde pela maior parte do valor, cerca de 40%. Seguida da iluminação, em torno de 20% da despesa total com energia.

Devido ao aumento expressivo da despesa de energia elétrica nos supermercados, muitos deles estão adotando ou acelerando projetos de eficiência energética.

Uma ótima alternativa para acelerar a redução da conta de energia é produzir a sua própria energia, não ficando refém de aumentos na taxa de energia. Na maioria dos casos, pode-se trocar o pagamento da fatura de energia por um financiamento com um valor parecido ao praticado pela conta de energia. Hoje em dia já existem diversas linhas de financiamento no mercado que ajudam na instalação dessa tecnologia.

ENERGIA SOLAR NOS SUPERMERCADOS DE ERECHIM

energia solar erechim supermercado
Telhado do Supermercado Capra com placas fotovoltaicas de Energia Solar em Erechim. Fonte: própria.

O Supermercado Capra da cidade de Erechim – Rio Grande do Sul, escolheu uma solução sustentável para o problema da conta de energia elétrica. Foram instaladas 100 painéis fotovoltaicos, responsáveis pela produção de 33 kWp e uma economia de cerca de 90% da antiga conta de energia elétrica.

Deixe um comentário