A cidade de Oliveira de Brejinhos, no estado da Bahia, foi o local escolhido para construção da Sol do Sertão, complexo de 474 MWp. O projeto terá será instalado com os inovadores painéis bifaciais e terá o tamanho de 700 campos de futebol.

O projeto que foi iniciado em Abril de 2020 e tem previsão de iniciar a operação no segundo semestre de 2021.

A usina Sol do Sertão será uma das maiores da América Latina e terá um tamanho equivalente 700 campos de futebol.

A capacidade de geração de energia será de 1150 GWh por ano. Contando com mais de 1 milhão de painéis solares bifaciais! Toda a produção será destinada ao mercado de energia livre no Brasil.

Painéis solares bifaciais

Os painéis bifaciais são uma novidade no mercado e ao redor do mundo muitas usinas solares fotovoltaicas já estão aderindo a tecnologia.

Trata-se de um novo modelo de módulo solar que produz energia nas duas faces. Dessa forma os módulos são instalados de maneira a receber sol nas duas faces, diferentes dos módulos normais que são inclinados ao sol e só produzem energia em uma das faces.

Essa nova tecnologia além de ter uma maior superfície de produção de energia, ocupa um menor espaço para a instalação, pois os painéis não são dispostos de maneira inclinada e sim na vertical de maneira a aproveitar o sol ao máximo durante todo o dia.

Complexo Sol do Sertão

O projeto Sol do Sertão é de propriedade da empresa Essentia Energia e conta com a fabricante de rastreadores solares de eixo fixo STI Norland para fornecimento de equipamentos. Além disso a Sungrow será responsável pelo fornecimento dos inversores. A empresa responsável pelas obras civis é a SETA Engenharia.

Parte do Complexo Solar Sol do Sertão.
Parte do Complexo Solar Sol do Sertão. Fonte: SETA/Divulgação.

O Complexo Sol do Sertão, que integrará oito usinas, na cidade Oliveira dos Brejinhos (BA), vai gerar mais de 4 mil empregos diretos e indiretos ao longo de suas obras. A planta terá capacidade total de 474 MWp.

Uma particularidade deste projeto é a sensação térmica do local onde será instalado o complexo. A região chega a registrar temperaturas acima de 40 °C.

Ricardo Alonso, diretor de Engenharia da Sungrow, esclarece que os inversores fornecidos pela empresa para este projeto podem produzir a mesma energia em elevadas temperaturas, devido à sua tecnologia de refrigeração. “Nossos inversores podem trabalhar em condições severas sem perda de produtividade, produzindo a mesma energia em elevadas temperaturas como 45 °C”, esclarece o engenheiro.

Para Adriano Vignoli, CEO da Essentia Energia, embora a preocupação com o meio ambiente e da busca por opções sustentáveis para geração de energia não sejam novidades, o atual momento torna latente a necessidade em redefinir uma série de ações do nosso cotidiano. “À medida que gera benefícios em curto, médio e longo prazo, a energia renovável ganha mais relevância, tornando-se cada vez mais a opção limpa para as pessoas e empresas no que diz respeito ao consumo de energia elétrica”, explica.


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.