Uma iniciativa financiada pelo Banco Mundial tem como objetivo conectar cerca de 1,3 milhão de famílias carentes à energia solar gerando eletricidade nas suas próprias residências.

No total, 121 mini-redes serão desenvolvidas no âmbito do Projeto de Acesso Solar Off-Grid do Quênia (Kosap), que é administrado pelo Ministério da Energia.

Áreas marginalizadas que geralmente têm populações escassas em 14 municípios são o alvo do programa de eletrificação. Também visam a conexão 207 escolas secundárias, 784 clínicas de saúde e 106 escritórios municipais.

Além de conectar famílias carentes à energia solar, o projeto também resultará na instalação de 380 sistemas solares de bombeamento de água e 150.000 fogões solares.

“Em seu nível ideal de operação, a Kosap terá promovido a elevação de 20% dos cidadãos anteriormente desassistidos, promovendo uma sociedade mais inclusiva, uma economia mais forte e uma melhor democracia“, disse um comunicado do Ministério da Energia. “Será um projeto engenhoso que habilita criativa e realisticamente o Quênia como nação“.

O acesso do Quênia à eletricidade ficou em 75% a partir de 2018. No entanto, a maior parte da eletrificação está concentrada em 28% da área terrestre do país, cobrindo 33 municípios.

Isso significa que as famílias no restante dos municípios foram excluídas da vida social e econômica, onde vivem populações significativas de comunidades carentes.

A falta de acesso à eletricidade é exacerbada pelo acesso precário a estradas, água e serviços sociais.

Garissa, Isiolo, Kwale, Lamu e Kilifi estão entre os municípios marginalizados que são alvos do programa. Outros são Mandera, Marsabit, Narok, Samburu, Taita Taveta, Rio Tana, Turkana, Wajir e West Pokot. Coletivamente, os municípios cobrem 72% da massa terrestre do país.

Para atenuar a exclusão, o Ministério da Energia, apoiado pela Agência Internacional de Desenvolvimento (AID) do Banco Mundial, concebeu o Kosap a ser implementado nos próximos quatro anos.

Historicamente, o Quênia tem sido o principal mercado africano em mini-redes e sistemas de eletrificação independentes, uma vantagem que o projeto aproveita.

Portanto, o Kosap acelera o aumento das soluções de eletrificação e energia fora da rede (Off-grid), em vez de se desviar para as soluções na rede.

“O Kosap está alinhado com vários programas, como a Country Partnership Strategy (CPS), cujo objetivo principal é a redução sustentável da pobreza e o aumento da prosperidade compartilhada“, afirmou o comunicado.

Especificamente, o CPS destaca três domínios de engajamento, incluindo crescimento para erradicar a pobreza, desenvolvimento de recursos humanos para prosperidade compartilhada e construção de consistência e equidade para gerar dividendos de devolução.

“Devido ao amplo impacto social e econômico positivo do projeto, ele conta com amplo apoio dos governadores dos 14 municípios-alvo, a Kenya Power, que fornece mini-redes, a Autoridade de Eletrificação Rural, que fornece soluções com energia solar, e a SNV, uma Empresa com sede na Holanda, que é o parceiro de financiamento com base em resultados do nosso programa ”, afirmou o Ministério da Energia.

O projeto tem como alvo os mais carentes, com famílias beneficiárias específicas, instalações comunitárias e empresas já mapeadas.

O sucesso do projeto nos municípios beneficiários será o sucesso do país como um todo, através da melhoria da educação, saúde, inovação e conectividade.


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.